"QUEM QUISER REFORMAR O MUNDO COMECE POR SI MESMO"
Powered by Google TradutorTradutor

Santuário

Apresentação do Museu

Localizado na encosta do morro do Rio Benevente, na antiga Aldeia de Rerigtiba “Reritiba” o conjunto Arquitetônico Museológico composto pela Igreja e anexo da Residência Jesuítica, da 2ª metade do século XVI com intervenções posteriores, abriga o Museu Nacional São José de Anchieta.

Criado em 1965 para preservar as imagens e objetos litúrgicos da Igreja que estavam fora de uso, o Museu Nacional São José de Anchieta tem como objetivos principais a preservação dos seus bens patrimoniais e da memória da aldeia de missão jesuítica de Reritiba, entre as mais antigas do Brasil. O acervo, constituído por bens móveis, bem como pela área edificada, composta originalmente pela Igreja de Nossa Senhora da Assunção e pela residência possui programa pedagógico  próprio, voltado para o estudo sistematizado e reflexivo sobre a vida e a obra de São José de Anchieta, bem como para a importância da educação patrimonial e cultural a partir do conjunto museológico.

Até 1997, o museu funcionava na sala ao lado da atual sacristia, por baixo do cubículo ou quarto de São José de Anchieta. Neste local foram descobertas parte das fundações da primeira sacristia que fora totalmente demolida. Em 2001, esta sala passou a abrigar a Capela do Santíssimo.

Durante a campanha das escavações arqueológicas e da restauração do Monumento Nacional realizada pelo IPHAN – Instituto Patrimônio Histórico e Artístico Nacional -, ocorrida nos anos de 1994 a 1997, o atual pátio interno da residência passou por um processo de estudo arqueológico. Com ele foi posto a descoberto o sítio arqueológico das alas residênciais sul e oeste, dos séculos XVI e XVII destruídas na 2ª metade do século XIX para ampliação do Cemitério Municipal. Nele foram encontrados, em diferentes estratos, objetos utilitários e ossadas pertencentes a várias épocas.

As escavações arqueológicas contribuíram para a transferência do  Museu Nacional São José de Anchieta para o andar térreo da antiga Residência dos Jesuítas, a fim de agregar à sua temática os vestígios arqueológicos do monumento e seu entorno.

O projeto museológico e museográfico é composto por três salas para visitação, anexadas ao sítio arqueológico e pelo templo, com seu Coro e Torre sineira com zimbório, além do cubículo onde viveu e morreu o Apóstolo do Brasil. Podem ser apreciadas na primeira sala várias peças de arte sacra de diferentes séculos e estilos. Na sala dois revisita-se a arqueologia e a importante figura do padre Diogo Fernandes, antigo superior da residência e famoso sertanista. Na sala três, denominada Sala Padre Anchieta, podem ser encontra-se o material relativo à sua vida, obras e carisma, bem como documentos do seu processo de canonização. Completam a exposição, na varanda do pátio, algumas peças indígenas avulsas pertencentes ao Santuário.

Horários de Visitação: terça a domingo de 8 às 18h

Contato: (28) 3536-3985 


Museu