"QUEM QUISER REFORMAR O MUNDO COMECE POR SI MESMO"
Powered by Google TradutorTradutor

Santuário

História

O Santuário Nacional de São José de Anchieta funciona nos espaços físicos do conjunto arquitetônico, e monumento nacional, outrora pertencentes à missão jesuítica erguida na aldeia indígena tupiniquim de Reritiba, atual cidade de Anchieta, no Sul do Estado do Espírito Santo, a 80 km da capital, Vitória, na margem norte do rio Benevente.

Com a expulsão da Ordem dos territórios portugueses em finais de 1759, os seus bens imóveis passaram para os domínios da Coroa. De novo sob administração da Companhia de Jesus, desde o início de janeiro de 1928, o Santuário encontra-se adstrito à Província dos Jesuítas Brasil.

A Companhia de Jesus (cujos membros popularmente se conhecem pela designação de jesuítas ou inacianos) teve os seus primórdios em Paris, com o voto feito na igreja de Montmartre por um grupo de sete companheiros ainda estudantes, liderados por Inácio de Loyola. Corria o mês de agosto de 1534 quando, no dia 15, Festa da Assunção de Maria, decidiram partilhar aqueles companheiros um percurso comum de vida de pobreza e de castidade. Porém, o início oficial da nova Ordem religiosa é o da bula papal, assinada em 27 de setembro de 1540.


Os Jesuítas chegam ao Brasil e ao Espírito Santo
 

Os primeiros seis jesuítas, chefiados pelo padre Manuel da Nóbrega, chegaram ao Brasil em 1549, na armada que trazia o primeiro governador-geral, Tomé de Sousa, com a missão de evangelizar os indígenas, naturais da terra, e de educar e confortar espiritualmente os colonos, cristãos europeus que deram início ao processo de colonização do Brasil.

Embora na capitania do Espírito Santo houvesse estado, por um curto período, o padre Leonardo Nunes, a missão permanente nesta capitania teve o seu início no ano de 1551, a partir da então recém criada Vila de Nossa Senhora da Vitória, na qual os jesuítas Afonso Brás e Simão Gonçalves fixaram residência e ergueram igreja.

No aldeamento Reritiba, de índios tupiniquins, estabeleceram-se os missionários jesuítas em 1579 por decisão do padre José de Anchieta, à época o responsável máximo pela Companhia de Jesus no Brasil. Quer a tradição que a missão jesuítica de Reritiba fosse iniciada pelo próprio São José de Anchieta, fato que a documentação não contesta. A aldeia acabou por se transformar num dos pólos de evangelização e desenvolvimento do Espírito Santo tendo, igualmente, servido como laboratório pelo qual passavam obrigatoriamente os jesuítas em formação para aprendizado da Língua Geral.

Por determinação de D. José I, pouco antes da saída dos jesuítas em janeiro de 1760, devido ao expressivo número de habitantes cristianizados, a aldeia de Reritiba foi elevada à categoria de vila com o nome de Benavente, tendo a cidade sido criada com a designação de Anchieta, o mais ilustre dos seus moradores, por força da lei estadual em 12 de agosto de 1887, ratificada por nova lei do Estado em 1921.

O atual monumento nacional que alberga o também nacional Santuário de São José de Anchieta é parte dos espaços físicos do conjunto arquitetônico jesuítico de Anchieta-ES, destacados pela importância que tiveram no processo de inculturação religiosa e cultural de numerosos grupos indígenas de distintas etnias e proveniências, conduzido pela Companhia de Jesus entre os séculos XVI a XVIII, segundo modelo considerado pioneiro; mas também por haver sido o lugar escolhido pelo sacerdote José de Anchieta para viver os últimos anos de sua vida.


História